Moda sustentável

 

Ter um estilo de vida que realmente respeita a natureza engloba muito mais do que podemos imaginar. Não basta separar seu lixo, reciclar e doar objetos usados. Nossas atitudes no dia a dia devem poupar os recursos naturais, mesmo que indiretamente, e isso significa ter uma consciência dos objetos, comidas e serviços que usufruímos.

Desde poupar energia, fazer reaproveitamento de água, evitar desperdício, manter um consumo consciente, podemos pensar também em como conciliar um estilo de vida em que possamos consumir sem culpa. A moda é um exemplo de campo promissor nesse quesito. Antes um movimento pequeno, a moda sustentável tem ganhado destaque no cenário mundial e até grifes famosas tem aproveitado dessa onda.

Depois de um tempo, a indústria da moda encontrou uma maneira de produzir sem explorar os recursos naturais de forma predatória, graças a novas tecnologias da área. As fibras dos tecidos agora passam a ser orgânicas, isto é, são feitas do algodão, juta e bambu produzidos sem o uso de inseticidas. Este é um grande passo, já que o cultivo de algodão consome um quarto do inseticida produzido no mundo. E a fibra do bambu é altamente renovável, antibacteriana, biodegradável e macia.

Uma grande novidade tem sido as roupas produzidas com material reciclável, como garrafas PET, pneu e até madeira. O plástico dá um tecido forte e macio, podendo ser combinadas com algodão para melhor efeito. A juta é semelhante ao linho e é cultivada sem nenhum impacto ambiental, além de ser biodegradável.

A moda sustentável está sendo valorizada no mundo da moda, tomando espaço na grande mídia, graças ao ativismo de pessoas públicas símbolos da moda. Recentemente a atriz Emma Watson, famosa pela série de filmes da saga Harry Potter e tem viajado o mundo para divulgar seu mais recente filme, A Bela e a Fera, decidiu usar as coletivas de imprensa e tapetes vermelhos para mostrar seu estilo criado integralmente por material eco-friendly. A atriz usa suas redes socais para exibir seus vestidos e informar o material usado em cada um. Além disso Emma tem declarado usar maquiagem que não usa animais para testes, e que usem apenas ingredientes naturais.

Porém, a moda sustentável deve estar cada vez mais disponível e acessível nas lojas ao redor do país. No Brasil, o mercado ainda é pouco explorado. Algumas lojas maiores tem uma imagem mais arrojada, interessadas nesse novo nicho. O problema é que ainda existem obstáculos financeiros para se adequar a um estilo de produção sustentável, uma vez que todos as etapas do processo de produção devem passar por mudanças, além de terem poucos fornecedores que produzem nessa linha.

Dificuldades também chegam para o consumidor, que tem que desembolsar cerca de 30% a mais por roupas eco-friendly, já que o material custa mais caro. A demanda também ainda é pequena, o que aumenta o custo das peças. Uma solução para estes problemas pode começar na comunicação da empresa com cliente, destacando a importância desses produtos para o meio ambiente.

Estamos passando por uma transformação cultural e cada vez mais iniciativas ambientais estão surgindo com soluções criativas e satisfatórias para os consumidores. Cabe a nós incentivar esses negócios, e assim levar um estilo de vida realmente sustentável.

Hiram Sartori

Hiram Sartori é Doutor em Engenharia Civil, área de Hidráulica e Saneamento, e ênfase em Resíduos Sólidos, pelo Departamento de Hidráulica e Saneamento da USP(1998), Mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia da UFMG (1984). Tem experiência em Engenharia Civil, atuando com ênfase em Saneamento e Meio Ambiente, principalmente nas áreas de gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, capacitação e treinamento em gerenciamento de resíduos sólidos, administração universitária.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: