O brasileiro tem consciência ambiental?

 

A consciência ambiental é uma das ferramentas mais poderosas para mudança em direção à hábitos mais sustentáveis. Já expliquei aqui a importância de uma educação ambiental nas escolas, tanto na educação básica, quando nas universidades e o quanto isso influencia nossa nação, nossa saúde e nosso futuro.

Há pouco tempo o Ministério do Meio Ambiente mediu o que o brasileiro pensa do meio ambiente e do consumo sustentável e comparou os resultados com 20 anos de intervalo entre as respostas e pode constatar algumas mudanças na consciência ambiental dos brasileiros. De um modo geral, os brasileiros têm mais consciência e informação, e teve uma evolução considerável quanto aos seus hábitos, mas ainda tem atitudes consideradas prejudiciais ao meio ambiente, principalmente no descarte incorreto na fase do pós-consumo.

Uma das evidencias mais positivas foi a diferença do número de pessoas que espontaneamente sabiam mencionar um problema ambiental no Brasil. Em 1992, 42% dos entrevistados não sabiam identificar nenhum problema ambiental, enquanto que em 2012, a porcentagem foi de apenas 11%. As pessoas também aprofundaram sua percepção sobre o problema do lixo no mundo, relacionando o problema não só com a natureza ou algo distante, mas também com seu bem-estar, e a vida em seu bairro e sua cidade.

Alguns conceitos também passaram a fazer parte do vocabulário dos brasileiros, como “desenvolvimento sustentável” e “biodiversidade”, e isso tem relação direta com o espaço que as mídias televisivas e online dão para o tema, aproximando-os da rotina das pessoas. Mas houve pouco evolução quanto a percepção sobre ações do empresariado brasileiro, e muitos não têm familiaridade com o termo “empresa cidadã”. Uma coisa não mudou muito: as empresas têm a tendência a ser avaliadas de modo negativo pela população.

Apesar de os brasileiros ainda manterem hábitos prejudiciais ao meio ambiente, houve avanço e os resultados comprovaram que as políticas voltadas para melhoria de descarte de resíduos e diminuição do consumo, como as campanhas pela separação do lixo e combate ao desperdício de água, tiveram efeito positivo significativo no nosso país.

A pesquisa ainda evidencia que a grande maioria da população não tem consciência da dimensão econômica e social dos problemas ambientais, relacionando-os apenas à proteção da natureza. E a visão que mais prevalece é a de que o governo é o único responsável pela resolução dos problemas ambientais. Isso mostra que os brasileiros estão atentos ao papel das administrações públicas, exigindo mais ação e eficiência, mas essa visão também pode trazer problemas de inércia.

Essa é uma pesquisa animadora. Com ela pudemos ver que a consciência ambiental dos brasileiros está em crescimento constante e há predominância do pensamento pró-meio ambiente. A população não considera um exagero a preocupação com o meio ambiente e afirmam não estar dispostos a ter um crescimento econômico à custa de depredações dos recursos naturais. É preciso continuar aumentando os esforços para a conscientização ambiental, principalmente na mídia, e continuar investindo em políticas nesse sentido, já que o brasileiro responde bem a esse recurso.

 

Hiram Sartori

Hiram Sartori é Doutor em Engenharia Civil, área de Hidráulica e Saneamento, e ênfase em Resíduos Sólidos, pelo Departamento de Hidráulica e Saneamento da USP(1998), Mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia da UFMG (1984). Tem experiência em Engenharia Civil, atuando com ênfase em Saneamento e Meio Ambiente, principalmente nas áreas de gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, capacitação e treinamento em gerenciamento de resíduos sólidos, administração universitária.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: