Impacto socioambiental do lançamento de percolado e esgoto nos recursos hídricos: o caso da Lagoa do Borzeguim, em Itapipoca

rio-sujo-sartori

 

A destinação inadequada dos resíduos sólidos, como já falamos aqui no site, é um dos principais desafios das administrações públicas no que se refere a saúde pública. Para se planejar a melhor solução é preciso conhecer a fundo cada caso, conhecendo seus pontos negativos e as particularidades locais, para que sirva como auxílio na recuperação da área e na gestão adequada de resíduos. O município de Itapipoca, localizado na região norte do estado do Ceará, enfrenta um problema comum em outras cidades cearenses: a destinação dos resíduos sólidos em lixões.

O mestrando Marcelo Távaro procurou analisar os impactos socioambientais decorrentes da disposição inadequada de resíduos sólidos e líquidos nos recursos hídricos da comunidade de Itapipoca. O resultado foi uma dissertação de mestrado no curso de Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal do Ceará. Para complementar sua pesquisa, Marcelo usou minha dissertação de mestrado intitulada “Discussão sobre a caracterização dos resíduos sólidos domiciliares”, feita 1995 pela Universidade Federal de Minas Gerais.

A dissertação nos apresenta um histórico de Itapipoca e seus problemas causados pelo uso dos lixões. O município está localizado há 133km da capital, Fortaleza, e tem a população estimada em 114 mil habitantes. O lixão foi instalado em 2002 em área de grande vulnerabilidade socioambiental, nas proximidades de uma importante lagoa e de uma comunidade que utiliza de sua água para atividades econômicas e para consumo próprio. A comunidade – chamada Borzeguim, mesmo nome da lagoa – possui cerca de 50 famílias que desde 2002 protestam contra a chegada do lixão. Mesmo assim, em 2004, foi instalada uma estação de tratamento de esgoto com efluente sendo lançado no mesmo sistema hídrico impactado pelo lixão. Para saber o real impacto causado por esses fatores, Marcelo fez uma pesquisa aprofundada.

A pesquisa avaliou o impacto social causada pelos problemas ambientais do município. Para isso, Marcelo realizou entrevistas semi-orientadas com uma amostra da comunidade e com os catadores encontrados no lixão. Foi avaliada também a qualidade das águas do sistema hídrico, sempre de olho nos parâmetros que excedam os limites estabelecidos pela resolução CONAMA 357/2005. Para este diagnóstico físico-ambiental foram realizadas quatro campanhas e analisados os seguintes parâmetros: OD, DBO, pH, Coliformes Termotolerantes, E.Coli, Salinidade e Transparência de Secchi. O estudo ainda simulou o comportamento da autodepuração do trecho em estudo considerando-se o parâmetro de oxigênio dissolvido. Foram utilizados a modelagem de qualidade de água proposta por Streeter & Phelps e a carga da DBO.

Com isso, o estudou chegou à conclusão de que o lixão e a ETE causam transtornos à comunidade do Borzeguim, pois exala mau cheiro, desvaloriza a comunidade provocando sentimentos de racismo por parte de terceiros e depreciação imobiliária, e ainda modificam as relações entre a comunidade e a lagoa. O lixão ainda causa forte depleção de OD no riacho, enquanto que a ETE acelera a reaeração do sistema. A lagoa encontra-se eutrofizada, e possui excessiva presença de microalgas na superfície, alta taxa de produtividade primária e diminuta zona fótica. A carga poluente oriunda da cidade se mostrou importante fator da degradação. Dessa forma, fica clara a importância de estudos interdisciplinares acerca da questão dos resíduos sólidos para que sirvam de subsídios a planos de recuperação da área degradada e planos de gestão.

Hiram Sartori

Hiram Sartori é Doutor em Engenharia Civil, área de Hidráulica e Saneamento, e ênfase em Resíduos Sólidos, pelo Departamento de Hidráulica e Saneamento da USP(1998), Mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia da UFMG (1984). Tem experiência em Engenharia Civil, atuando com ênfase em Saneamento e Meio Ambiente, principalmente nas áreas de gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, capacitação e treinamento em gerenciamento de resíduos sólidos, administração universitária.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: