Estudo das características do lodo gerado na Estação de Tratamento de Água da Escola de Especialistas de Aeronáutica

agua

 

O estudo das características do lodo gerado em Estações de Tratamento de Água é importante para a orientar sobre métodos de tratamento e sua destinação final. O Trabalho de Conclusão de Curso de Maria Letícia dos Santos faz um trabalho excelente ao propor um estudo preliminar da composição e das características do lodo gerado na ETA na Escola de Especialistas de Aeronáutica em Guaratinguetá, revistando meu trabalho sobre caracterização geotécnica de lodos para embasamento teórico.

A função das estações de tratamento de água é captar água do meio ambiente, retirar as impurezas e microrganismos presentes nos cursos d’água, desinfetar esta água e disponibiliza-la para o consumo humano. Para ser consumida, a água deve atender critérios físicos, químicos e biológicos de qualidade, estabelecido pela portaria 2.914/2011 do Ministério da Saúde. A água passa, então, por processos físicos como coagulação, floculação, decantação, filtração e agitação e depois são acrescentados produtos químicos para remoção das impurezas e alcançar os índices de propriedades da água exigidos por lei.

Como resultado desta operação são gerados resíduos, como o lodo formado nos tanques de sedimentação ou flotação, que contém os microrganismos e sólidos suspensos presentes na água coletada que são retirados no processo de tratamento. Este lodo é classificado como resíduos sólido pela NBR, devendo, portanto, receber destinação adequada. Porém, a maioria das ETAs lança os lodos gerados durante o processo diretamente no rio mais próximo, o que pode causar danos no meio ambiente como assoreamento dos rios, interferência na fotossíntese das plantas aquáticas, alteração das propriedades físico-químicas da água, colocando em risco a saúde de pessoas que usam desta água. Como alternativa, o lodo pode ser lançado na rede de esgotos, em lagoas com largo tempo de detenção, pode ser aplicado no terreno, disposto em aterros sanitários ou ter seus subprodutos aproveitados.

No caso da estação de tratamento de água da Escola de Especialistas de Aeronáutica, faz-se o uso de recirculação, para se reaproveitar a água de lavagem dos filtros. O lodo gerado forma-se no fundo deste tanque, após a decantação dos resíduos presentes na água de lavagem. Há a formação de lodo também no fundo dos tanques de floculação modelo Accelator, que são lavados a cada três meses, sendo este lodo transferido também para o tanque.

O trabalho concluiu que o lodo da ETA estudada tem baixa concentração de sólidos. Isso se deve a três fatores: o uso do sulfato de alumínio como coagulante, a utilização de grande volume de água na limpeza dos flocodecantadores e dos filtros, e a baixa turbidez da água captada para tratamento. Por causa desse baixo teor de sólidos, a disposição do lodo em aterros ou sua utilização na indústria cerâmica fica impossibilitada. Outras alternativas também são inviáveis, como o despejo em cursos d’água, pois contribui para o aumento da quantidade de sólidos, alterando negativamente as propriedades da água. E o lançamento na rede coletora de esgoto não é legal no Estado de São Paulo. A alternativa sugerida pelo trabalho é a lagoa ou o leito de secagem como meios de desidratação, devido ao baixo volume de lodo gerado e em decorrência da remoção não contínua. Maria Letícia propõe, também, um estudo da possibilidade de disposição no solo, devido à baixa concentração de metais presentes em sua composição, principalmente o alumínio.

Hiram Sartori

Hiram Sartori é Doutor em Engenharia Civil, área de Hidráulica e Saneamento, e ênfase em Resíduos Sólidos, pelo Departamento de Hidráulica e Saneamento da USP(1998), Mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia da UFMG (1984). Tem experiência em Engenharia Civil, atuando com ênfase em Saneamento e Meio Ambiente, principalmente nas áreas de gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, capacitação e treinamento em gerenciamento de resíduos sólidos, administração universitária.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: