Estudo avalia o uso conjunto de lodo de estações de tratamento de água e o agregado reciclado na construção civil

cimento

 

O doutorando Álvaro Chávez Porras, fez uma importante avaliação em artigo sobre o uso conjunto de lodo de estações de tratamento de água e agregado reciclado miúdo na fabricação de componentes não cerâmicos da construção civil, sob orientação de Ricardo de Lima e Dione Mari, pela UNICAMP. Meu estudo sobre a caracterização geotécnica de lodos provenientes de estações de tratamento de água e de esgotos sanitários serviu de referência para parte de seu estudo, onde usou o município de Campinas como objeto de análise.

Na última década Campinas passou por um desenvolvimento tecnológico e econômico, aumentando, com isso, a demanda de novas edificações e remodelações prediais, como também o incremento de construções paralelas como estradas, serviços públicos, áreas e lugares públicos.  Isso trouxe a produção de uma grande quantidade de resíduos sólidos, entre eles entulhos de construção e demolição civil.  O percentual de lodos nas estações de tratamento de água também aumentou, devido ao incremento populacional e o aumento do consumo de água tratada. Tanto o entulho quanto o lodo são causadores de grande impacto ambiental em bacias e áreas das regiões vicinais. Mas eles podem ser reciclados e usados como matérias primas em outros processos.

O objetivo da pesquisa é que se aproveite esses resíduos, agregados miúdos de entulho reciclados e lodo, aplicando o conceito e política do Desenvolvimento Sustentável. Para isso foi estudado a caracterização e a viabilidade na recuperação, reciclagem e uso deles como novas matérias primas na elaboração de componentes não cerâmicos da construção civil, os quais permitiram a redução dos passivos ambientais gerados e a possível redução dos custos de fabricação, podendo ser usados em projetos comunitários e de moradia da região.

O lodo e o agregado são constituídos de partículas de dimensões e proporções diferentes. No que se refere a permeabilidade e capilaridade, estados de consistência eles apresentam propriedades distintas de granulometria. Porém, a comparação dos dois componentes é possível, pois possuem argila, silte, areia e também uma parcela de água em sua composição.

Os componentes foram fabricados na tecnologia proposta baseada em diferentes autores. Em seguida foram testados na área estrutural segundo as normas para concreto da ABNT vigentes no Brasil, sendo avaliadas a resistência, a compressão, a absorção de água e as dimensões após o tempo de cura definido em 21 dias. Na área ambiental, são avaliadas amostras de agregado e lodo, para “massas brutas”, segundo a ABTN. Estudos como esse são de extrema importância, pois dá um passo considerável para a resolução dos problemas gerados pelo gerenciamento inadequado de resíduos sólidos no país.

Hiram Sartori

Hiram Sartori é Doutor em Engenharia Civil, área de Hidráulica e Saneamento, e ênfase em Resíduos Sólidos, pelo Departamento de Hidráulica e Saneamento da USP(1998), Mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia da UFMG (1984). Tem experiência em Engenharia Civil, atuando com ênfase em Saneamento e Meio Ambiente, principalmente nas áreas de gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, capacitação e treinamento em gerenciamento de resíduos sólidos, administração universitária.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: