Caracterização dos resíduos de construção civil: um estudo de caso sobre município de Colina

construçao-sartori

 

Os resíduos sólidos de construção civil (RCC) são uma ameaça ao meio ambiente caso não sejam gerenciados corretamente, o que acarreta custos altos aos responsáveis. Para achar uma solução para este tipo de problema, o ideal é conhecer os fatores responsáveis pela formação desses resíduos. Pensando nisso, o mestrando Eduardo Machione fez um estudo de caso da geração dos RCC no município de Colina, em São Paulo. A dissertação foi apresentada ao Programa de Pós-graduação em Tecnologia Ambiental da Universidade de Ribeirão Preto, e teve como base meu trabalho sobre a caracterização dos resíduos sólidos domiciliares.

A quantidade de resíduos sólidos gerados no mundo aumenta à medida que a população mundial cresce. Com isso vem crescendo o número de estudos técnicos-científicos e legislações ambientais, abrangendo desde a área técnica referente a tecnologias de gerenciamento, até a conscientização da população, para que diminua a geração de resíduos e adeque o gerenciamento em residências, hospitais, indústrias, comércio e construções civis. Esta última é responsável por impactos ambientais, seja pelo consumo de recursos naturais, pela modificação da paisagem ou pela geração de resíduos.

As políticas públicas que pretendem combater o problema devem levar em conta os tipos, quantidades e características dos resíduos gerados, que podem variar de região para região. Todo o ciclo produtivo que envolve esses resíduos é importante para o processo de minimização do impacto causado ao meio ambiente. No caso do RCC, foi criado a resolução CONAMA 307/2002, que estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão desses resíduos, atribuindo aos geradores a responsabilidade de separar e dispor de acordo com uma classificação sugerida.

No caso de Colina, objeto de estudo da dissertação, Eduardo descobriu que o município não dispõe de área de extração de recursos naturais, e os matérias utilizados na construção civil vem de municípios vizinhos, como Guaíra e Terra Roxa. As características dos resíduos de construção civil mostram que 87% da sua composição são resíduos Classe A, predominando concreto, areia, reboco e elementos fracionados, como britas, tijolos quebrados e outros.  A taxa de geração de resíduos per capita em Colina foi de 7,48g por dia, e 127kg por dia em todo o município. Colina, também, não possui área licenciada para disposição final dos RCC e por isso são utilizadas três áreas não regularizadas, tanto pelo órgão municipal como por particulares para disposição desses resíduos. Eduardo também constatou que Colina não possui um plano de gestão e que é preciso uma adequação atendendo a resolução CONAMA 307/2002 e as políticas Estadual e Nacional de Resíduos Sólidos. Além disso, foi possível contatar impactos visuais, sociais, econômicos, culturais, de saúde pública e principalmente ambientais provenientes da disposição inadequada de resíduos da construção civil.

Este trabalho é de grande importância para o município de Colina, já que poderá proporcionar informações fundamentais sobre a economia, o padrão de vida e o nível de educação e conscientização ambiental inerente a população local. Com essas informações em mãos, a administração pública terá acesso a situações municipais até então desconhecidas e que precisam de atenção especial. O estudo poderá ainda colaborar para a implantação de uma gestão integrada dos RCC, através de um Programa de Gestão de Resíduos e minimizar impactos ambientais causados por este tipo de resíduo colaborando com atividades de reciclagem e destinação adequada.

Hiram Sartori

Hiram Sartori é Doutor em Engenharia Civil, área de Hidráulica e Saneamento, e ênfase em Resíduos Sólidos, pelo Departamento de Hidráulica e Saneamento da USP(1998), Mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia da UFMG (1984). Tem experiência em Engenharia Civil, atuando com ênfase em Saneamento e Meio Ambiente, principalmente nas áreas de gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, capacitação e treinamento em gerenciamento de resíduos sólidos, administração universitária.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: