Cisternas: cuidados com a higiene da água

água-sartori

A construção de uma cisterna deve ter cuidados tanto para a segurança do profissional quanto na qualidade da água retirada. Para dar um apoio profissional, deixo aqui algumas instruções sobre a construção de cisternas sem riscos.

O profissional deve ter cuidado tanto na escavação quanto na escolha do terreno, instalação da bomba e tratamento da água.  Primeiramente o poço deve ser cavado durante o dia, com a luz natural e nunca durante a noite. Atenção para a segurança no trabalho: sempre tenha uma corda a disposição para o caso de uma emergência, e sempre trabalhe de capacete.

O local deve ser escolhido com cuidado. Os lugares mais indicados para a construção de uma cisterna são os fundos dos vales, protegidos por matas, onde não passa enxurrada e existe maior facilidade de encontrar água subterrânea. Esta água nada mais é do que a água da chuva, que pode escorrer sobre a terra, se infiltrar no solo, podendo ser encontrada até 15 ou 20 metros de profundidade. A água é filtrada naturalmente pelas camadas do solo, que retiram suas impurezas, por isso são consideradas mais puras.

A qualidade é um fator fundamental: a cisterna deve manter a água em condições de uso e potabilidade. Por isso a cisterna deve ser protegida por uma cobertura estanque, para evitar o recebimento de enxurradas, que vem acompanhadas de folhas, lama, e dejetos de animais. Os três primeiros metros de profundidade da cisterna devem ser pré-moldados com junta argamassa, e no nível do solo severa ser colocado uma laje de concreto de diâmetro maior do que a cisterna, provida de uma cobertura, que poderá ser retangular, pelo qual poderá passar o cano da bomba ou balde com corda.

A higiene da água deve ser mantida através da aplicação de cloro, para assim eliminar os microrganismos que ainda possam estar presentes e transmitir doenças. Você pode aplicar o cloro na própria cisterna de seis em seis meses, na caixa d’água de seis em seis meses ou no filtro diariamente. Na cisterna ainda pode ser utilizar hipoclorito de sódio a 10%, a proporção cem mililitros para cada mil litros de água; água sanitária: 200 mililitros para cada mil litros; hipoclorito de cálcio: 3,9 gramas para cada mil litros. E para desinfecção da água na talha, pode-se utilizar água sanitária, adicionando uma colher de chá para cada 20 litros de água.

Cuidado também para a retirada da água. Sempre que possível é melhor utilizar bomba elétrica ou manual em vez de balde e corda. O balde e a corda facilitam a contaminação da água sendo de difícil limpeza. Eu recomendo que antes de utilizar normalmente a água da cisterna, deve-se primeiro coletar uma amostra e fazer uma análise bacteriológica a fim de se constatar a contaminação por esgotos sanitários ou dejetos animais. Esta análise é simples e traz maior segurança à utilização da água.

Hiram Sartori

Hiram Sartori é Doutor em Engenharia Civil, área de Hidráulica e Saneamento, e ênfase em Resíduos Sólidos, pelo Departamento de Hidráulica e Saneamento da USP(1998), Mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia da UFMG (1984). Tem experiência em Engenharia Civil, atuando com ênfase em Saneamento e Meio Ambiente, principalmente nas áreas de gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, capacitação e treinamento em gerenciamento de resíduos sólidos, administração universitária.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: